Projeto Garimpo identifica mais R$ 14,6 milhões remanescentes em contas judiciais | Claudio Zalaf Advogados Associados
Notícias

Projeto Garimpo identifica mais R$ 14,6 milhões remanescentes em contas judiciais

Iniciado no mês de abril deste ano, o trabalho é realizado por magistrados e servidores da Secretaria da Corregedoria, do Núcleo de Pesquisa Patrimonial e das Varas do Trabalho

A equipe responsável pelo Projeto Garimpo no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região identificou durante o mês de agosto os beneficiários de mais R$ 14,6 milhões remanescentes em contas judiciais. Os valores estavam vinculados a processos antigos, todos com decisão definitiva e referem-se a depósitos recursais, honorários periciais e alvarás.

Iniciado no mês de abril deste ano, o trabalho é realizado por magistrados e servidores da Secretaria da Corregedoria, do Núcleo de Pesquisa Patrimonial e das Varas do Trabalho. No total, foram liberados ou transferidos R$ 100,8 milhões em cinco meses, sobretudo a empresas e trabalhadores.

No mês de agosto, foram devolvidos R$ 5,5 milhões a empresas, R$ 4,3 milhões foram pagos a reclamantes, R$ 1,9 milhão foi redirecionado para quitação de outras execuções, R$ 681 mil foram recolhidos em contribuições sociais e imposto de renda, R$ 278 mil pagos a advogados e R$ 668 mil a peritos.

Para identificar os beneficiários, o TRT-15 solicitou que o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal informassem dados sobre contas judiciais com saldos remanescentes. Por meio do Sistema Garimpo, as informações foram cruzadas com outras obtidas nos sistemas de processos judiciais do Tribunal. O cruzamento identificou apenas o montante pendente e o processo de origem. Coube então ao grupo de magistrados e servidores localizar, caso a caso, os beneficiários, analisando centenas de documentos e atos processuais.

Projeto garimpo

De acordo com o Ato Conjunto CSJT.GP.CGJT nº 1/2019, que instituiu o Projeto Garimpo na Justiça do Trabalho, processos com saldos remanescentes em contas judiciais ativas não podem mais ser arquivados. Para analisar processos antigos, anteriores ao ato conjunto, um sistema desenvolvido pelo TRT da 21ª Região (RN), intitulado “Sistema Garimpo”, auxilia na identificação e pesquisa de valores, cruzando dados com informações fornecidas por bancos.

Fonte: Justiça do Trabalho – TRT-15

Postado em: 14 de setembro de 2020